Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um ar de sua Graça

Um quadro que é uma gaffe

IMG_9267.jpg

 

Quando andava na fase dos bordados a ponto de cruz entusiasmei-me com a ideia de fazer um quadro alusivo ao meu casamento que registasse para a posteridade esse acontecimento.


Não me recordo se este quadro é anterior ou posterior ao que ofereci aos meus pais relativamente ao casamento deles. Mas para o caso não tem qualquer importância.


Procurei em revistas mas não encontrei nada que me satisfizesse e então decidi improvisar.


Encontrei um “par de jarras” com um ar muito vitoriano e achei-lhe graça. Nem procurei mais. Deitei mãos à obra. O casalinho lá se foi compondo no tecido. Depois acrescentei-lhes umas florinhas, umas fitinhas, uns passarinhos, uns coraçõezinhos, tudo muito terminado em “inho” como convêm. Ah! E os nomes dos noivos, que somos nós. E a data do casamento, claro.


 E o quadro ficou pronto.


Emoldurou-se.


Os da casa olham para ele e torcem o nariz.


Mas que quadro é este?


Um casal vestido com trajes do século XIX?


 O ano do casamento incompleto? 82 em vez de 1982?


Caí em mim.


Imaginemos as gerações vindouras, sei lá, os meus netos, bisnetos, quadrinetos a olharem para esta relíquia do seu passado. O que concluirão? Nada mais, nada menos, que aquela Graça e aquele Domingos, seus recônditos antepassados, vestidos com aquelas fatiotas, viveram, sem sombra de dúvida, no século XIX e casaram-se em… 1882!!!   


 Não podia desmanchar o quadro nem estava para fazer outro sem erros históricos.


Resolvi o problema. 


Como?


Escrevendo nas costas do quadro “ Graça e Domingos casaram-se em 1982”


Assunto resolvido.

 

IMG_9268.jpg

 

 Podem também seguir-me no Instagram!

 

 

11 comentários

Comentar post