Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um ar de sua Graça

Caixas e caixinhas…em “craquelê”

IMG_9288.jpg

 

Sou eu e o Picasso. Tal e qual, assim sem tirar nem pôr.

 

Do Picasso conhecemos várias fases, a azul, a rosa, a africana, o cubismo analítico, o cubismo sintético, etc, etc, etc.

 

Acontece que eu tenho a fase do ponto de cruz, a fase das caixas pintadas, a fase dos móveis pintados, a fase dos feltros, a fase do tricot, a fase do crochet… Tudo em comum entre nós os dois como se pode comprovar.

 

Quando os meus interesses se canalizavam para uma destas “artes” era única e exclusivamente isso que fazia. Cada coisa na sua vez. Até me fartar e partir para outra “arte” completamente diferente.

 

Agora, talvez porque mais impaciente e menos tolerante com a monotonia, diversifico as actividades e são variadíssimos os trabalhos que tenho entre mãos...

 

…uma manta em tricot… uma manta em crochet… uma almofada em tricot… uma almofada em crochet… uma echarpe em tricot…

 

…Tudo começado … nada concluído…Tudo em nome do NÃO À ROTINA no que a “handmade life” diz respeito. 

 

Esta é uma longa introdução para falar sobre a minha fase das caixas pintadas. Depois de experimentar a técnica de “decoupage” resolvi experimentar a técnica de “craquelê” que significa “rachado” ou “estalado”. O verniz que se utiliza sobre a tinta faz que, com  a secagem, esta encolha e fique com o aspecto de fendas muito finas, dando à peça um ar de envelhecimento.

 

Diverti-me a pintar caixas e caixinhas com esta técnica. Uso-as para guardar brincos, anéis, fios.

 

Pelo menos, o quarto fica mais arrumadinho, sem bugigangas espalhadas por todo o lado.

 

IMG_9281.jpg

IMG_9282.jpg

IMG_9283.jpg

IMG_9285.jpg

 

 

Podem também seguir-me no Instagram!

 

 

 

10 comentários

Comentar post